Representação dos gêmeos de Cleópatra e Marco Antonio é encontrada no Egito

                                     Imagem representa gêmeos de Cleópatra e Marco Antonio



O Conselho Nacional de Pesquisa da Itália (CNR) anunciou nesta sexta-feira (20) a descoberta da única representação dos gêmeos, menino e menina, fruto da relação da rainha egípcia Cleópatra com o general Marco Antonio.

A imagem foi encontrada pela egiptóloga italiana Giuseppina Capriotti, que trabalha para
o CNR, e que, em declarações à "Agência Efe", explicou que se trata da única imagem encontrada até agora dos gêmeos, Cleópatra Selene II e Alexandre Hélio.

Giuseppina detalhou como após vários anos de pesquisa pôde publicar um estudo no qual é provado que as duas crianças que aparecem nesta escultura, abraçados e com o sol e a lua sobre suas cabeças, são os gêmeos de Cleópatra e que Marco Antonio reconheceu como seus filhos.
A obra que representa os gêmeos nus, tem cerca de um metro e foi achada em um templo dedicado à deusa Hathor, na cidade de Dendera, e nela pode-se observar um menino com o cabelo encaracolado curto e uma trança lateral típica dos pequenos egípcios da época, enquanto a menina tem um penteado que lembra o de Cleópatra.

A professora baseia suas investigações tanto em considerações do tipo iconográfica, já que a escultura pode ser datada no período do reinado de Cleópatra VII pelos detalhes estilísticos, como do ponto de vista simbólico.

Sobre a menina, identificada com o nome que a puseram seus pais, Cleópatra Selene, aparece o símbolo da lua; no menino, aparece um sol, que representa seu nome, Alexandre Hélio.
"No Egito, a lua era um símbolo para os homens, e o sol para as mulheres, mas deve-se levar em conta a contaminação cultural grega na relação de Cleópatra com Marco Antonio", destacou Giuseppina.

A professora explicou, além disso, como "os nomes foram dados às duas crianças quando Cleópatra viajou a Antioquia para ver Marco Antonio e este os reconheceu como seus filhos, porque tinham nascido antes do casamento, e nesse período houve um eclipse que inspirou o batismo das crianças e sua representação abraçados".

Do amor entre Cleópatra e o general romano no ano 40 a.C, nasceram três crianças: primeiro os gêmeos e depois Tolomeo Filadelfo, mas a única imagem conhecida até então de todos eles era a do rosto de Selene, que foi casada com o rei africano Juba II de Numidia, em Roma, em uma moeda e em uma escultura.

No entanto, de seus irmãos não existia nenhuma representação e, após o suicídio de seus pais, tanto Alexandre Hélio como Tolomeo "seguramente tiveram um triste destino", apontou a egiptóloga do CNR, que lembrou como as dinastias posteriores puderam acabar com todas as representações iconográficas dos herdeiros de Cleópatra.